[HQ] As Célticas – Hugo Pratt

Num mercado com crescente concorrência, espera-se que as empresas trabalhem para cada vez mais oferecer produtos de qualidade a preços acessíveis. Infelizmente, na história do mercado de quadrinhos no Brasil, essa nem sempre é a regra. Por isso mesmo, merece nosso aplauso a iniciativa da Pixel de levar ao grande público os álbuns do Corto Maltese de Hugo Pratt, uma das melhores séries de quadrinhos de todos os tempos. O volume mais recente é Corto Maltese – As Célticas, com 138 páginas, formato 21cm x 28cm, ao preço de R$33,00.


Trazendo seis aventuras que se passam entre 1917 e 1918, nos momentos finais da Primeira Guerra Mundial, As Célticas nos levam de Veneza à Irlanda, passando por Stonehenge até os campos de batalha na França. Com títulos tão belos quanto a poética simbolista de “O anjo da janela do Oriente” ou tão inventivos quanto o jogo modernista de “Concerto em ‘O’ menor para harpa e nitroglicerina”, as HQs misturam fatos históricos com referências literárias, pessoas reais com personagens fictícios. Não faltam homenagens ao escritor norte-americano Ernest Hemingway ou referências à obra do inglês William Shakespeare e do espanhol Miguel de Cervantes. E, se um dos capítulos tem o temido Barão Vermelho como personagem principal, não raras vezes o Corto Maltese se vê levado pelo ritmo dos acontecimentos, reconhecendo ironicamente que nessa história toda ele não passou de um mero observador.Com cenas de ação e lutas do início ao fim, as páginas de As Célticas são repletas de intrigas políticas e golpes de espionagem envolvendo a guerra e as disputas nacionalistas do século 20. Mas o roteiro dinâmico de Pratt deixa espaço também para conversas amenas e paixões humanas, para músicas cantadas num bar ou apresentações de teatro de sombras. No traço conciso e rápido do quadrinista italiano, ambientes, objetos e personagens ganham identidade e presença física, convidando-nos a viajar no tempo e no espaço, a conhecer e nos envolver com seus dramas e motivações.

Mistura de quadrinho e poesia, literatura e realidade, não falta neste álbum nem mesmo uma sequência em que Corto Maltese é convocado pelo rei dos elfos e fadas Oberon a salvar a Inglaterra de uma invasão alemã.História em quadrinhos incomum, na qual sentimos até o soprar do vento, a criação de Hugo Pratt deixa-nos perceber, desde o primeiro instante, o verdadeiro “sopro” que a motiva: um profundo e autêntico humanismo, que desponta na denúncia da insensatez da guerra e se reafirma na falibilidade dos personagens, a começar de seu protagonista. Em outras palavras, Corto Maltese – As Célticas traz todos os elementos de um verdadeiro quadrinho-arte.

Um clássico absoluto e uma leitura saborosíssima!

Na edição de número #12 da revista Crash (edição que sai mês que vem), sairá uma matéria sobre Hugo Pratt e suas obras. Fonte: Neorama

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: