[CINEMA] Review de “A Múmia – A Tumba do Imperador Dragão”

Inspirados por uma tumba real, localizada num mausóleo em Xi’an, na China, Alfred Gough e Miles Millar (criadores de Smallville) trazem, sete anos após o lançamento de O Retorno da Múmia, a família O’Connell de volta às telas. O novo filme conta a história de um Imperador Dragão (Jet Li) que, almejando a imortalidade, vê seu exército e ele próprio almadioçados por uma feiticeira. Milênios depois, o então crescido Alex O’Connell, interpretado brilhantemente por Luke Ford, seguindo os passos dos pais, encontra a tumba do Imperador.

Longe de imaginar seu filho envolvido com múmias, Rick (Brendan Fraser) e Evelyn (Maria Bello) tentam viver uma vida tranqüila com todo o conforto que sua fortuna lhes permite. Contudo, como todo aventureiro de verdade, o casal não resiste à uma proposta feita pelo governo para transportar uma antiquaria até Xangai – onde coincidentemente reside o irmão de Evelyn, Jonathan (John Hannah) – e acabam se envolvendo em mais uma aventura com múmias, desta vez com a participação do filho. Devo dizer que a equipe encarregada pelos efeitos especiais deve ter se divertido horrores produzindo o filme (foi a mesma equipe responsável por filmes como Eu, Robô, Armageddon, O Grinch e Transformers).

Divertidíssimo, A Múmia: Tumba do Imperador Dragão não deixa a desejar na área de efeitos especiais, muito menos na área de entretenimento. Como sempre, há amores “impossíveis”, mortos-vivos por toda parte, e há também aquele ar de antiguidade da cultura oriental. Mesmo com as dançarinas chinesas da boate de Jonathan dançando bem no estilo hollywoodiano, e mesmo com zumbis chineses de milênios atrás que são convocados em língua inglesa, o roteiro do filme não é de todo ruim. Não sai do clichê “família é o que importa” e “o amor vence qualquer barreira”, mas clichês fazem parte da vida.

Rob Cohen fez um bom trabalho na direção, deixando apenas a desejar no desenvolvimento dos atores. A saída de Rachel Weisz é fortemente sentida, mesmo que o diretor tente nos pregar uma peça nas primeiras cenas. A atriz desistiu do trabalho por divergências com o roteiro, e Maria Bello ocupou o seu lugar, interpretando uma Evelyn alguns anos mais velha (como se o passar de alguns anos mudasse a aparência física de uma pessoa completamente). E o fato de Brendan Fraser ter a mesma aparênica jovial (e o mesmo porte físico…) de 1999 nos leva a pensar se ele dorme no formol!

Para quem espera por 1h48min de diversão, boas risadas e um passeio pela cultura asiática, o filme não vai decepcionar. Porém, para aqueles que esperam o mesmo nível dos filmes anetriores, podem botar suas expectativas de molho. Falando nisso, foi só eu ou mais alguém sentiu falta das múmias?

Ficha Técninca
Título original: The Mummy – Tomb of The Dragon Emperor
Ano de lançamento: 2008
Dirigido por Rob Cohen, produzido por Sean Daniel, Bob Ducsay, James Jacks e Stephen Sommers, escrito por Alfred Gough e Miles Millar
Com Brendan Fraser, Maria Bello, Jet Li, John Hannah, Luke Ford, Michelle Yeoh, Isabella Leong e Anthony Wong Chau-Sang.

por Isadora C.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: