[RESENHA] De Roswell à Varginha (Renato A. Azevedo)

Já fazia um bom tempo que não lia nada relacionado a OVNIs e extraterrestres, tema que particularmente gosto muito, o que me fez sentir atraído pelo livro De Roswell à Varginha, de Renato Azevedo.

Seguindo o formato pocket que a Tarja Editorial vem adotando em diversos livros, Renato soube conduzir uma narrativa sem enrolação, indo direto ao ponto e deixando o leitor com a curiosidade à flor da pele, ansiando pelo final.

Com uma escrita rápida e prazerosa o livro começa apresentando o caso Roswell no Novo México em 1947, passando pelo Forte Itaipú em 1957 até chegar à Varginha, em Minas Gerais, no ano de 1996, descrevendo os casos de aparições de OVNIs nessas regiões.

Nesse trillher investigativo somos apresentados a Roberto Monteiro, jornalista e colaborador de um informativo virtual conhecido como O Farol e Lígia Barros, policial federal que se mostra bastante interessada nos assuntos ufológicos. Ambas personagens vem de família militar, e compartilham de um misterioso passado, também ligado aos casos apresentados no início do livro. Além do passado em comum, Ligia e Roberto são amantes e se encontram as escondidas no apartamento da policial.

Ainda no início da narrativa o autor apresenta Raynolds, membro da inteligência militar americana, responsável por encobrir os casos nos EUA e também no Brasil. De maneira bastante misteriosa e muitas vezes até irritante (de tanta curiosidade para saber o que ele deseja), o militar parece falar em códigos ao tentar instruir Roberto nos caminhos da verdade sobre os extraterrestes. É em um desses enigmáticos caminhos que o jornalista conhece Yuri, um estranho que vive no Sanatório de Amparo, no interior de SP.

Além das personagens principais, o livro ainda conta com os três editores do Farol, polêmico jornal virtual que circula falando sobre política e casos estranhos, muitas vezes relacionados a ufologia. Assim como outras personagens, Franco, Leandro e Batista são completamente enigmáticos e reservados, escondendo seu passado atrás de sofisticados equipamentos que usam em prol do Farol.

A trama e o clima de mistério nos faz relembrar do mega sucesso dos anos 90, Arquivo X e tem diversos elementos que remetem a série, como por exemplo os faroleiros (os três amigos de Roberto) que trazem as lembranças dos Pistoleiros.

Uma passagem do livro que achei um pouco desnecessária foi a conversa de Roberto com sua irmã ao telefone, quando o jornalista tenta se esquivar de sua namorada, outra personagem que também não agrega muito valor a trama.

Muitas pontas soltas ainda restam ao final da leitura, o que nos dá a certeza de que outros livros virão, explorando esse universo criado por Renato Azevedo.

O livro é excelente e super recomendado para os fãs do gênero.

Para finalzar, o autor dedica algumas páginas descrevendo os fatos ocorridos em Varginha. Muito interessante também.

… … …

por Tiago Castro
contato@tiagocastro.com.br

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: